O cruzamento de raças a favor da carne

O cruzamento de raças a favor da carne

A genética bovina do Sul Catarinense se dissemina por meio de inseminação artificial. Cruzamentos entre vacas zebuínas e touros de raças britânicas melhoram a qualidade da carne brasileira. No sul catarinense, mais precisamente em Jaguaruna, a Fazenda Lago Azul exerce um importante trabalho quando o assunto é o cruzamento de raças e desponta como referência no assunto em todo o estado.

“Iniciamos o trabalho com o melhoramento da genética da bovinocultura na região Sul há 15 anos. Quando começamos, tínhamos um número considerável de animais, mas sem potencial genético para carne. Foi então que começamos a introduzir as raças britânicas angus e hereford. Os animais começaram a cruzar com os que tínhamos e a partir daí começamos a visualizar a melhoria do rebanho como uma realidade”, conta um dos proprietários da Lago Azul, Eroni Coelho.

Essa qualidade é o que destaca o trabalho exercido na propriedade e é alcançada pelo cruzamento de raças bovinas por meio de inseminação artificial. A prática, cria um valor agregado muito superior e é visível em uma carne mais marmorizada e saborosa.

“Somos pioneiros na prática aqui no Sul e isso é motivo de muita alegria e incentivo pra gente. Estamos em constante crescimento, falando em exportação mas, sem esquecer da nossa região. Investimos constantemente em tecnologia no campo para que a gente consiga expandir mas sem perder a qualidade característica”, ressalta.

A Fazenda Lago Azul é uma das expositoras confirmadas na 8ª edição da Feira do Agronegócio & Agricultura Familiar (AgroPonte). Evento que acontece de 15 a 19 de agosto, no Pavilhão de Exposições José Ijair Conti, em Criciúma. A AgroPonte é referência em Santa Catarina, e reunirá ainda a 6ª Feira Exposição Estadual de Animais e a 3ª Feira Bovinos Comerciais Venda Direta. “O objetivo é trazer como foco o agronegócio, a pecuária e a agricultura familiar e consolidar institucional e promocionalmente esses temas em Santa Catarina”, afirma o diretor da NossaCasa Feiras e Eventos e organizador da AgroPonte, Willi Backes.

Serão mais de 25 mil metros quadrados de estrutura, reunindo 250 expositores, dentre eles empresas, entidades, associações e cooperativas da agricultura familiar, além de fabricantes, distribuidores e comerciantes. Trazendo para um único lugar, produtos alimentícios certificados de propriedades rurais, máquinas, equipamentos, tratores, colheitadeiras, ferramentas, tecnologias e insumos para a produção.

Além de bonivos PO (puro por origem) e PC (puro por cruza) de diferentes raças, bonivos comerciais, equinos da raça crioula, caprinos, ovinos, aves exóticas e tradicionais, além de peixes, pássaros e coelhos. “O consumidor terá Feira AgroPonte a oportunidade de comprovar a qualidade e tecnologia empregada na produção, reconhecida no Brasil e em países de todos os continentes”, finaliza Backes.