AgroPonte 2018: Turismo rural integra comunidade com a natureza no Sul catarinense

Santa Catarina é um estado rico em belezas naturais. O turismo de um modo geral e o turismo rural têm crescido cada vez mais e têm colocado o estado como referência no assunto. Exemplo disso, é o Instituto Alouatta, que desde de 2005 realiza esse tipo de trabalho na região Sul catarinense, visando integrar a comunidade com a natureza de forma segura e consciente, tendo como princípios básicos, a preservação do meio ambiente e a segurança na prática das atividades.

“Estamos há mais de uma década trabalhando na articulação entre comunidade, instituições e poder público com foco no turismo de natureza que contempla o ecoturismo, turismo rural e de aventura”, ressalta o coordenador de projetos do Instituto Alouatta, Paulo Renato Cadallóra.

Um projeto que faz parte do instituto, é o Rotas do Aguaí, o primeiro roteiro catarinense elaborado entorno de uma unidade de conservação. A Reserva Biológica Estadual do Aguaí é uma unidade de proteção integral, gerenciada pelo Instituto do Meio Ambiente (IMA) e é a segunda maior do estado com 7.672 hectares. Parte dessa área está abrigada dentro dos territórios dos municípios de Siderópolis, Treviso, Nova Veneza, Morro Grande e, na sua parte superior, faz divisa com Bom Jardim da Serra.
“O turismo relacionado às áreas naturais é um dos que mais cresce no mundo. No Brasil, pela geografia e biodiversidade, tem se apresentado como excelente ferramenta na geração de emprego e renda para comunidades aliado com a conservação da natureza. O Rotas do Aguaí já tem resultados expressivos tanto na ativação de novos negócios, como pousada, por exemplo, bem como em ações de conservação da natureza”, explica o coordenador.

A unidade tem extrema importância para a conservação, pois integra a Reserva de Biosfera da Mata Atlântica. Além disso, possui expressivo manancial hídrico. “São cabeceiras, riachos e rios da Bacia do Araranguá, abrangendo mais de 45% da bacia de contribuição da Barragem do Rio São Bento, que abastece com água potável toda a região carbonífera do Sul Catarinense”, acrescenta Cadallóra.

O Roteiro tem o apoio das prefeituras que fazem parte da Reserva Biológica do Aguaí: Morro Grande, Nova Veneza, Siderópolis e Treviso e Bom Jardim da Serra. Conforme o Plano de Manejo da reserva sua área de entorno possui um grande potencial para prática de ecoturismo e turismo de aventura. “O principal objetivo deste roteiro que é levar as pessoas para terem experiências únicas ao ar livre de forma consciente e segura”, pontua.

Instituto Alouatta é um dos expositores confirmados na 8ª edição da Feira do Agronegócio & Agricultura Familiar (AgroPonte). O evento que acontece de 15 a 19 de agosto, no Pavilhão de Exposições José Ijair Conti, em Criciúma. “Quando lançamos o roteiro em 2013 apresentamos na AgroPonte daquele ano. Estávamos com um estande temático mostrando os atrativos naturais e as atividades já ofertadas nos municípios que compõe a rota. Nesta edição, estamos completando cinco anos de projeto e levaremos muitas novidades sobre a evolução do roteiro que temos certeza que todos vão se surpreender”, Cadallóra.

Para o diretor da NossaCasa Feiras & Eventos e organizador da AgroPonte, Willi Backes, o instituto agrega de maneira positiva o contexto da feira, que visa fomentar as qualidades do estado. “Santa Catarina é riquíssima em diferentes aspectos e o trabalho desenvolvido pelo Instituto Alouatta, com o Rotas o Aguaí é um belo exemplo de como o Sul do estado está buscando alternativas para o desenvolvimento sustentável das comunidades, gerando emprego e renda mas sem esquecer do meio ambiente que é o nosso bem mais valioso”, finaliza.